2 min de leitura

O caso já foi mencionado noutros blogs, tais como:

Mas acho que nos faltou a todos explicar o porquê desta incompatibilidade.

Dentro das relações públicas existe uma área de relações com a imprensa ou de assessoria de imprensa. Aqui, o propósito é transmitir aos jornalistas press releases e informação relevante. E como é normal, por vezes formam-se laços entre RP’s e Jornalistas. Uns porque precisam de notícias, outros porque precisam de fazer chegar a informação dos seus clientes ao público.

Alguém que passa de jornalista para Relações Públicas leva consigo uma agenda de contactos bastante valiosa. Seja o contacto de outros jornalistas ou até dos contactos que foi reunindo ao longo da carreira. Torna-se uma vantagem muito boa face aos relações públicas que fizeram o percurso académico e respectivo estágio.

Para publicar uma noticia ou reportagem, um jornalista tem de estar na posse da carteira profissional. Num caso extremo, um jornalista que esteja a exercer funções de relações públicas pode escrever noticias imparciais sobre os seus clientes.

Neste exemplo, o prejuizo principal é para a credibilidade do jornalista, como jornalista. De seguida, sofre a reputação do mesmo como profissional de Relações Públicas uma vez que tomou uma atitude pouco ética e que compromete a sua transparência.

Os clientes que contrataram o serviço também saem prejudicados pela má imagem que se gera. O próprio jornal ou revista também, fica com a sua credibilidade e imparcialidade posta em causa.

Seguir

Coloca o teu email para receber um email semanal com os últimos artigos.