3 min de leitura

Para começar, normalmente não procuramos por sites ou páginas, procuramos por um ou outro “artigo”. Vou aqui falar de artigo porque só me refiro aos elementos de texto que estão algures num site. Por sua vez a maioria dos sites de confiança apresenta-se como um conjunto de artigos. Confusos ? O melhor exemplo prático que conheço é o About.com que é como um livro gigantesco, dividido por temas, capítulos e artigos, cada um com o seu índice de recursos.

Voltando aos motores de busca mais gerais, o meu primeiro passo é tentar imaginar quais são as palavras que vão estar no artigo que procuro. Isto pode parecer ridículo mencionar, mas o que me interessa não são os termos gerais, são os termos mais específicos. Um exemplo prático, vamos imaginar que queremos informação sobre o uso de blogs nas salas de aula. Em vez de procurar por “blogs” e “classroom” que me dá 11 milhões e trocos de resultados, acrescento o termo “used in” para ter só 937 mil. Os resultados da primeira pesquisa também têm mérito, mas eu recuso-me a olhar para mais do que a primeira página de resultados. Aqui já é uma questão de método.

Neste ponto da pesquisa entra logo em causa o tema sobre o qual estamos a vasculhar a web. O exemplo das lyrics que dei há uns parágrafos atrás mostra isso. Uso o tema que procuro como primeiro termo de pesquisa. Isto também funciona quando tenho problemas no computador.

Descobri que na maioria das vezes, quando procuro por “Windows xp” seguido pela referência a um erro que o programa X ou Y me apresentou, dou de caras com um fórum onde alguém perguntou se alguém sabia como resolver a questão. Se não temos a referência de um erro do sistema, ou queremos descobrir como fazer alguma coisa. Algo típico que ouço dos meus amigos é “o meu computador está mais lento”. É o tipo de coisa fácil de descrever ao google para receber informação que baste para melhorar o desempenho do Windows : windows xp losing performance.

Mas há mais, usar aspas, sinais de + ou de – antes dos termos para filtrar melhor a pesquisa, especificar ao google que site queremos pesquisar (site:.about.com) and so on … podem ler mais sobre isto no site searchenginewatch.

Para finalizar, parte da morada de um site garante quase de certeza que ele é o primeiro resultado do google. Isso dá jeito quando não queremos escrever a morada completa. Eu uso o truque quando o meu pai me pergunta pela milionésima vez os resultados do loto2, abro o browser no google, escrevo “djogos” e arranco com “i’m feeling lucky”. É menos uma morada que tenho de memorizar.

Etiquetas: google, Utilitários web

Seguir

Coloca o teu email para receber um email semanal com os últimos artigos.