2 min de leitura

Há palavras que usamos como sinónimos mas que no fundo existe um rio de diferença entre elas. São por isso palavras paralelas.

Falar e Conversar são excelentes exemplos.

Falar é fácil e podemos fazer em qualquer lado e em qualquer lugar. Podemos falar sozinhos, podemos falar com as paredes, podemos falar baixinho ao mesmo tempo que desejamos bastante alto. As pessoas geralmente falam, alto, atrás de um púlpito e só para que as ouçam.

Conversar é diferente.

Conversa-se em frente a uma chávena de café, enquanto se aquece as mãos numa caneca de chá, quando se olha para o fogo e para a lenha a arder.

Conversa-se numa série de situações, mas ninguém conversa sozinho.

Conversa implica acima de tudo ouvir, partilhar as perguntas e as respostas que nos surgem, ou assumir que não saber as respostas e que se tem dúvidas sobre as perguntas. As pessoas conversam para se compreenderem.

Por isso é que é difícil conversar. Parte do pressuposto que se deixam cair defesas e que se está disposto a estar enganado.

E há algo de especial numa Conversa a sério. É algo que faz de uma conversa mais do que um diálogo, é um conjunto completo de pequenas coisas e detalhes que fazem com que só aquela pessoa compreenda o que queremos dizer.

É a escolha cuidada das palavras e a procura dos momentos ideais. Nada é feito “Só porque sim” e o nível de atenção é igual ao de um artesão. Como um mestre pedreiro que escolhe pedra a pedra os traços da calçada que acompanha o Rio.

E Conversar a sério, vale ouro.

Etiquetas: Conversation,

Seguir

Coloca o teu email para receber um email semanal com os últimos artigos.