4 min de leitura

O que se segue é parte dos meus apontamentos das aulas do professor Jorge Sá, de Sociologia da Informação. São 25 técnicas de Comunicação Política. Não me recordo bem, mas acho que algumas destas regras “pertenciam” a Domenach.

  1. Simplificação

    • sugere-nos que a comunicação deve ser simples, clara e concisa. O mais fácil possível de reter. O ideal é que esta mensagem simples tenha uma carga emocional simples. Esta simplificação deve ser bem executada; até porque os slogans devem ser bem entendidos por todas as pessoas. A simplificação consiste em redigir a carga ideológica do discurso.
    1. Inimigo único
    2. está associada à regra da simplificação; decorre da primeira porque apresenta um lider / partido como o único opositor; num único duo são concentrados esforços, sentimentos negativos.

    3. avantajamento ou avolumar dos factos

    4. consiste no aumento de volume dos factos para conseguir determinado efeito junto das massas; avolumar factor para obter uma melhor opinião junto do publico.

    5. desfiguração

    6. trata da possibilidade de alterar acontecimentos de modo a que sejam desfavoráveis ao adversário. Utiliza-se muito através da alteração de discurso.

    7. orquestração

    8. consiste em repetir certas informações por todos os meios possíveis, em todos os media e adaptando da melhor maneira possível a cada tipo de publico; é uma forma de não saturar tanto a propaganda e multiplicar a potencialidade.

    9. Transfusão

    10. Consiste em aproveitar muitas opiniões, slogans já existentes e transplantá-los para uma campanha; há uma transfusão de tendências já ligadas ao conhecimento das massas para fazer a identificação com a campanha que se está a criar; a ideia é criar uma campanha que chegue mais facilmente ao publico. É preciso saber muito bem a quem se destina, para que a mensagem seja mais apropriada e lhes diga algo. (Domenach escolhe esta regra como a mais importante).

    11. unanimidade

    12. Dar a entender que não existe unanimidade de opiniões

    13. Contágio

    14. Imitação de comportamentos ou atitudes que podem ser produzidas pelos lideres. Está ligada à regra da unanimidade no sentido em que a reforça. É uma ideia fabricada nomeadamente pelas brigadas de aplauso nos comícios. Alguns instrumentos que reforçam a unanimidade e o contágio podem ser as bandeiras, os slogans, as palavras de ordem, os uniformes, a musica etc.

    15. Dissonância

    16. Consiste na exploração da propaganda do adversário; funciona quase como contra-propaganda

    17. Reciprocidade

    18. Tenta-se obter reciprocidade numa conduta de boas maneiras.

    19. Reivindicação

    20. Os sindicatos são um bom exemplo

    21. Legitimação

    22. É muito utilizada para justificar uma acção que não seja muito popular (justificar o aumento de impostos)

    23. Clima de força

    24. Nunca admitir a derrota; apesar das evidências apontarem para a derrota nunca a admitir, manter sempre o clima de força

    25. Neutralidade

    26. A ideia é utilizar um argumento que à partida é neutro, mas fazê-lo depois tender para determinado sentido.

    27. Dissuasão

    28. Tenta-se dissuadir o adversário a fazer algo. Pode-se utilizar de uma forma mais ou menos directa uma ameaça.

    29. Ocultação

    30. Consiste em transmitir a informação política de modo a ocultar dadas imagens ou ideias que possam ser utilizadas contra si.

    31. Tabuização

    32. Consiste em interditar certos assuntos através da recusa de esclarecimento ou prestação de declarações

    33. Escalada

    34. Fazer mais do que o adversário; a partir de um dado ponto, a imagem pode ser denegrida.

    35. Vacinação

    36. Repetição exaustiva de argumentos; é necessário ter cuidado para não criar este efeito de vacinação porque a massa adquire anticorpos contra a campanha e já não absorve nada devido à exaustão.

    37. Previsão

    38. Previsões do que pode acontecer se não se fizer determinada coisa imediatamente. Geralmente são de caracter negativo.

    39. Aprovação

    40. Consiste em não estar sempre em desacordo com o que o adversário diz; de forma táctica, escolham-se ocasiões para estar de acordo com o adversário, mas não em aspectos muito significativos; por exemplo, dar apoio humanitário desde que a população também esteja de acordo; é uma forma de reduzir tensões.

    41. Inibição

    42. Consiste em inibir o adversário, utilizando alguns elementos que o façam silenciar, nomeadamente referindo aspectos de corrupção.

    43. Manicaismo

    44. Traduz uma atitude radical face ao adversário

    45. Sacralização

    46. Referencia a algo sagrado, muito usado nos tempos medievais

    47. Exclusão

    48. Consiste em excluir os adversários menores

Seguir

Coloca o teu email para receber um email semanal com os últimos artigos.